drakemberg

A visão longinqua daquela muralha, que corre de norte para sul ao longo da Africa austral,e à  qual nunca cheguei.ficou-me a recordação.assemelha-se,À  escarpa da chela,Angola,que tem a seus pés o deserto da namibia, que contempla, há¡ milhões de anos numa estenção de cerca de 150 kilometros.

quarta-feira, maio 18, 2016

A luta continua e a vitória é certa

É curioso como Passados 40 anos as pessoas que de cá nunca saíram ainda estão de carranca afivelada e continuam a chamarem todo o tipo de nomes aos desgraçado. Nós que fomos para lá trabalhar como os nossos compatriotas que foram para Alemanha, França, Canadá etc etc. Esses são glorificados dizem-no as entidades deste país quando a eles se dirigem. São bons trabalhadores respeitadores das leis desses países etc. Mas há uma casta de portugueses talvez degenerados por alguma doença genética da raça Lusitana! Por falar nisso viva a Lusitânia. São os chamados retornados os malandros que andaram a explorar os pretos a rouba-los? Em 24 anos de presença no território pelo natal quando queria mandar para meu pai míseros 500 escudo sempre o Fundo Cambial de Angola indeferia o pedido! Desisti! Como acabei de explicar muito mas muito resumidamente! Ora se eu fui ladrão dos naturais nos 24 anos de presença no território. Que terá de se dizer de Portugal como Nação que por lá andou 500 anos. Eu simplesmente fui um guardião do teu querido império Portugal, para que os portugueses que de cá nunca saíram vivessem à fartazana e pagam-nos nesta moeda tenham dó. Querem exemplos? Do império viram especiarias de toda a ordem, madeiras caríssimas ao preço da chuva; Sândalo pau-ferro mussibe café Robusta e Arábica durante centenas de anos de Minérios nem me arrisco a enumera-los dado a quantidade e variedade até chegar ao topo, diamantes, e ouro o Banco de Portugal abarrotava com 1200 T no 25 cá dele. E para terminar a história de Portugal foi ao Império buscar o brilho, Vejam só que Don João V com tanta riqueza montou uma embaixada a Roma que escandalizou a Europa do Luízes e quejandos, dada a exiguidade do nosso território. Vocês ainda são mais ingénuos quando é o nosso herói nacional Luiz de Camões que o enaltece, tenham dó, meus compatriotas. E dou-vos um conselho. Utilizem aquilo que a Democracia vos dá tão generosamente que é o vosso direito de cidadania e lutem para que em Portugal do Abril que tanto amais não haja nenhum cidadão descriminado nem roubado de seus bens sejam quais forem as razões e ainda muito menos do Império pois apesar de todos os erros que evocais deixamos obra valorosa. Nunca nenhum colonizador fez semelhante diversidade em território alheio ao seu. Foi Portugal que levou para as colónias a Mandioca o milho consumidos fortemente pelos Índios da Amazónia Essa planta alimenta actualmente grande Parte de África eu próprio a consumo regularmente. Deixamos lá a língua portuguesa para que todos se compreendam do Rio-Congo ao Cunene. Achais que merecemos o Vº escarneo e desprezo mas estais enganados Vós é que andais enganados desde o PREC, e parece que gostais pois os retornados serviram desde essa altura para justificar todas as asneiras destes 40 anos.

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial