drakemberg

A visão longinqua daquela muralha, que corre de norte para sul ao longo da Africa austral,e à  qual nunca cheguei.ficou-me a recordação.assemelha-se,À  escarpa da chela,Angola,que tem a seus pés o deserto da namibia, que contempla, há¡ milhões de anos numa estenção de cerca de 150 kilometros.

terça-feira, junho 14, 2005

Os infortunios

Andàvamos por aquela zona,havia já quinze dias. As cenas por tão idênticas,se repetiam.Poderia viver muitos anos,mas a experiência adquirida estava certo jamais se apagaria da minha mente. Os hábitos, de certas pessoas,por tão repetidas, se tornavam reais.Aquele chefe de posto que,colecionava pedras retiradas das entranhas da terra e que para ele se configuravam do paleolítico superior, ou inferior,conforme os veios e feitio que tinham e que ele mesmo classificava.Eram autenticos ícones e eram mesmo assim respeitados pelas ideias que tinham,e que rondavam de raspão o irreal.E com que alegria telegrafava ao Administrador do Roçadas, informando-o do achado.Os termos utilizados normalmente começavam assim:Rogo-Secha,sigo a toda a mecha,Capelongo-achado importante.Aquele hospital de leprosos por nós visitado e que,retratava a parte mais sórdida e degradante do ser humano.Naquele tempo,pessoalmente gostava de mergulaar no breu das coisas.Naquele hospital chamou-me a atenção de imediato,o ruido gutural e inumano vindo do exterior; assomando à janela pude ver no páteo uma figura humana masculina grotesca,muito forte,corpulenta mesmo! Corria, corria sem parar em voltas consecutivas ao páteo,e que por este mesmo confinadas. O corpo,luzia pelos óleos transvasados através dos poros,na sua face;o pó e o suor, formavam uma pasta grotesca,que davam ao indivíduo aquele ar alienado qual santanás à solta.Meu Deus perdoa! Mas porque o castigaste daquele jeito.Embrenhando-me mais ainda,cheguei ao fundo de um corredor.Era ladeado de um lado e do outro por enfermarias,onde se encontravam autênticos farrapos humanos minados que estavam pelas mais,terríveis doenças tropicais.A maioria eram africanos! Continuando pelo corredor cheguei a uma enfermaria solitária e lúgrube,Estavam nela cinco homens europeus,deviam sofrer todos da mesma doença,pois o aspecto deles era idênticos,autênticos esqueletos,como que saídos das profundezas tumulares daterra.Estavam todos sentados em marquezas,o surro cobria-os em toda a extenção do corpo em camadas lúgrubes, espessas, e quebradiças. Com o calor estavam nus,como Deus os mandara para o mundo.O que mais me impressionou,foi o tamanho abominàvel dos orgãos sexuais,disformes com aspecto de pedra pomes do tamanho dum melão.Quando urinavam; a mesma corria para o exterior por dezenas de poros qual regador de jardineiro, o cheiro impestava.Tinham perdido a capacidade de sorrir,falar e estavam ali simplesmente à espera que a Fada Negra os viesse buscar para a terra do apaziguamento e da confraternização eterna.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial